Enquanto no Brasil de forma inacreditável se discute o aumento da carga semanal de trabalho para 60 horas, na Suécia, após experimentar crescimento nos anos de 2010 a 2015 de 71% a 63% no número de faltas no trabalho relacionadas com estresse laboral, certas empresas e municípios reduziram o tempo de trabalho, sem diminuição salarial, para 30 horas semanais.

O resultado: “o ambiente de trabalho melhorou, a saúde dos trabalhadores e a qualidade  dos cuidados com os pacientes”, afirmou o representante do Município, em relação aos trabalhadores de uma casa de idosos pública.

Obviamente a prática é contestada pelos representantes do patronato, que afirmam ser praticável somente em certas empresas. O governo, no entanto, anunciou consulta pública sobre estresse no trabalho, e, além da semana de 30 horas, quer tornar possível interrupções remuneradas na carreira.

Veja a reportagem de Anne-Françoise Hivert (Malmö (Suède), correspondante régionale) – Jornalista do Le Monde

 

http://www.lemonde.fr/economie/article/2017/02/15/en-suede-la-semaine-des-30-heures-ne-fait-pas-l-unanimite_5080095_3234.html